RELATORIO de um mês AULAS DE AUDIO (Buguinha Dub)

Primeiro mês de aula foi ótimo, com um nível alto de presentes e uma proveitosa participação dos alunos durante as aulas.

No inicio das aulas em Agosto, abordamos um síntese do que será visto nas aulas de áudio, nesta etapa, foi focado conhecimentos de Estúdio.

Em uma das aulas, gravamos uma musica composta na hora, pelos próprios alunos que tocaram, bateria, percussão e cantaram numa gravação com poucos recursos, em sistema Digital Protools.

Relatório 5º encontro web design

Nesse encontro, trocamos o ambiente do terreiro pelo espaço do telecentro. Lá foram apresentados varios livres de arte e design para a turma, e por cerca de 20 minutos todo mundo circulou pelos livros.

image

Depois, coloquei o filme do treinamento de bruce lee:

E expliquei o método DOJo de programação, um master, um aluno fazendo e os outros observando.

Com isso em mente, partimos para criar blogs na plataforma wordpreess.com seguindo o metodo dojo.

Ao final tivemos alguns blogs no ar:
image

3° encontro de Programação Web

O terceiro encontro iniciou com uma aula sobre os processos de Game Design. Entre os conteúdos, focamos nas seguintes questões: O que se espera de um projeto conceitual de jogo? O que o game designer tem de fornecer? O que é um bom game design? O que tem um bom jogo? Como se faz um game design (processo)? Diante disso foram apresentados alguns exemplos de jogos clássicos e suas características. Após a exposição, foi solicitada uma atividade para o grupo: descrever os projetos de instalação e jogos de acordo com as seguintes perguntas: estilo (estratégia, combate,…), objetivos do jogador (como ganha?), como o jogador interage, trama (história), personagens (PCs e NPCs), ambiente (mapas, paisagens), época, tema (idéia filosófica), realismo visual e físico, esquema de recompensa e pontuação, sobrevivência e tempo do jogo.

_DSC0007_DSC0039_DSC0001

Os jovens ficaram com a missão de tirar fotos sobre os problemas que estão apontando no projeto para o próximo encontro.

2° encontro de Programação Web

O nosso segundo encontro começou com a apresentação dos projetos desenvolvido pelos jovens. Boa parte retratavam os problemas sociais levantados no primeiro encontro.

Entre eles, um aplicativo para melhorar o atendimento dos agentes de saúde do bairro facilitando a marcação das visitas demonstra o interesse da juventude pela tecnologia como ferramenta de transformação social. Também surgiram ideias de jogos sobre os Orixás, em diálogo com o projeto Contos de Ifá e também instalações interativas para educar os moradores sobre a coleta seletiva dos lixos.


Depois das apresentações, vimos um projeto na Índia que fornecia água para a população da cidade de Hyderabad. Este caso atua diretamente no processo de desenvolvimento de produtos para a comunidade, apresentando os seus passos e demonstrando que um envolvimento sem profundidade acaba causando falhas no design do produto. Conceitos como Design Thinking e processos de prototipagem foram apresentados como metodologia para ser utilizada durante o curso.

RELATÓRIO HISTÓRIA E AFRICANIDADES – Aula 1

NUFAC Olinda- PE

Relatório pedagógico semanal ­ Curso : Africanidades

Educador : Paulo Sergio medeiros Barbosa Turno: tarde Data: 26 /agostos/2014

1. TEMA

Abolição – Protagonismo comunitário – Conhecimentos Ancestrais

2. OBJETIVOS

Abolição

a) Despertar olhar critico a cerca a produção de conteúdo didático e um olhar sobre as tecnologias sociais ancestrais.
Protagonismo comunitário
b) Estimular os jovens a produzir conteúdos comunitários locais, como vídeos entrevistas historia de vidada comunidade.
Conhecimentos Ancestrais
c) Demostrar com o video Djanb Folli os conhecimentos tecnológicos ancestrais africanos e sua relação com a natureza.
Mapeamento
d) Dar visibilidade as culturas populares comunitárias locais e valorização dos protagonistas das festas.

3. CONTEÚDOS

a) Abolição – Video produzido com depoimentos de um quilombola do seu imaginário da abolição.
Tema – oralidade e o livro didático.
b) Protagonismo comunitário -Video a historia do Coco de Umbigada.
 [youtube https://www.youtube.com/watch?v=O8QPLz6eozQ&w=420&h=315]
Tema – Comunicação comunitária e valorização da cultura ancestral.
c) Conhecimentos Ancestrais – Video Djanb Folli

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=Kyq5bZth-sE&w=420&h=315]

Tema – tecnologias ancestrais

d) Mapeamento – apresentação da proposta de mapeamento cultural

4. RECURSOS DIDÁTICOS:

Aula expositiva, projeções com roda de conversa.

6. METODOLOGIA

A metodologia a seguir apresenta uma tentativa de colocar em dialogo os cursos de Design Gráfico (segunda-feira), Operador de Áudio (terça-feira) , Produtor Cultural (Quarta Feira) , Percussão e Luteria ( quinta-feira ) e programação de Jogos ( sexta-feira), com elementos da historia, cultural e da ancestralidades. Buscamos reunir o ( presente ) momento atual que o jovens negro vive no brasil e o ( passado) no berçô da civilização humana do Continente Africano. As atividades se dividem em três momentos distintos, apresentação da proposta ( Temas ), como elemento gerador vídeos de 10m no máximo e a finalização com produção de conteúdo critico. O método foca na contraposição e contradição de ideias que levam a outras ideias.

RELATÓRIO AFRICANIDADES 4

NUFAC
Olinda- PE

Relatório pedagógico semanal ­ Curso : Africanidades

Educador : Paulo Sergio medeiros Barbosa Turno: tarde Data: 22 /setembro/2014

1. TEMA
Valorização cultura local – Heróis Negros – Cabelos – Mulheres Negras –
Mapeamentos cartográfico

2. OBJETIVOS
Valorização cultura
Provocar no alunos a possibilidade de registrar a historia da cultura local através da apresentação de registros áudio visuais.
Heróis Negros
Acabar com silêncio existente sobre a participação do negro na história do Brasil e na sociedade brasileira.
Cabelos – Mulheres Negras e suas experiencias com os cabelos na infância, adolescência e fase adulta.
Debate sobre a estética dos cabelos afro no Brasil.
Mapeamentos cartográfico –
Proposta que cada um possa identificar na sua comunidades iniciativas culturais do seu bairro.

3. CONTEÚDOS
a) – Valorização cultura local – Esse video documenário constrói um olhar lúdico e ensaísta sobre a trajetória do samba de bumbo, a partir da história de pessoas de Campinas, Pirapora e São Paulo, que participam ou participaram das rodas de samba rural paulista. Uma contemplação da cultura negra, através do paradoxo entre a força do tambor e a fragilidade social.
Video 1 – Bumbo de Samba PARTE 1 10 min de 21
Video 2 – Bumbo de Samba PARTE 2 9 min de 21
Video 3 – Bumbo de Samba PARTE 2 2 min de 21
Tema – valorização registro e produção de conteúdo local
b) – Heróis Negros
HEROIS DE TODO MUNDO
LAUDELINA DE CAMPOS MELO
NEGRO COSME
MAE MENININHA
DANTAS BARRETO
MAE AMINHA
ZUMBI DOS PALMARES
MAE MENININHA DOS GANTOIS
LUIS GAMA]LUIZA MAHIN
C) – Cabelos – Mulheres Negras e suas experiencias com os cabelos
video 1 -Raiz Forte O primeiro episódio da série web-documentária Raiz Forte aborda quais foram os rituais de manipulação do cabelo crespo durante a infância da mulher negra.
Video 2 – Raiz Forte – O segundo episódio da série web-documentária Raiz Forte aborda como a mulher age diante das opções adquiridas durante a adolescência e juventude com as diversas técnicas de alisamento, até então não permitidos devido a faixa etária.
Video 3 – Raiz Forte – O terceiro e último episódio da série web-documentária Raiz Forte aborda como as experiências das personagens em relação ao cabelo crespo, da infância a juventude, marcam sua história hoje.
d) Mapeamentos cartográfico –
Proposta que cada um possa identificar na sua comunidades iniciativas culturais do seu bairro.
Video 1 – No Ar Radio Arte no Centro Cultural Coco de Umbigada

4. RECURSOS DIDÁTICOS:
Aula expositiva, projeções com roda de conversa.

6. METODOLOGIA
A metodologia a seguir apresenta uma tentativa de colocar em dialogo os cursos de Design Gráfico (segunda-feira), Operador de Áudio (terça-feira) , Produtor Cultural (Quarta Feira) , Percussão e Luteria ( quinta-feira ) e programação de Jogos ( sexta-feira), com elementos da historia, cultural e da ancestralidades. Buscamos reunir o ( presente ) momento atual que o jovens negro vive no brasil e o ( passado) no berçô da civilização humana do Continente Africano. As atividades se dividem em três momentos distintos, apresentação da proposta ( Temas ), como elemento gerador vídeos de 10m no máximo e a finalização com produção de conteúdo critico. O método foca na contraposição e contradição de ideias que levam a outras ideias.

RELATÓRIO HISTÓRIA E AFRICANIDADES Aula 3

NUFAC Olinda- PE
Relatório pedagógico semanal ­ Curso : Africanidades
Educador : Paulo Sergio medeiros Barbosa Turno: tarde Data:15 /setembro/2014
2. OBJETIVOS
a) Estimular os jovens a criarem seu conteúdos audiovisuais expressando suas visões de mundo.
b) Levantar um olhar critico e histórico das personalidades que ajudaram a fundar o movimento negro no brasil.
c) Conhecer a historia de resistência dos nossos ancestrais.
d) Realizar um levantamento da cadeia cultural nas regiões de moradia dos jovens.
e) Conhecer a historia de formação das igrejas evangélicas no Brasil.

3. CONTEÚDOS
a) Juventude Negra no Brasil – vídeos produzido por jovens negro e negras do Brasil expressando sua visão sobre a realidade do jovem negro no Brasil.
Video 1 – Diz A Enfrentamento ao Extermino da Juventude Negra – Contexto
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=GjuKhoG1UYU&w=420&h=315]

Video 2 – Diz A Enfrentamento ao Extermino da Juventude Negra – Identidade
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=8UYVKDtjivM&w=420&h=315]

Vídeo 3 – Diz A Enfrentamento ao Extermino da Juventude Negra – Policia
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=bAStHndMc9Q&w=420&h=315]

b) Movimento negro no brasileiro – vídeo historia da resistência negra no Brasil
Tema – Movimentos Sociais
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=-X6XE2oJ5bs&w=420&h=315]
Video Cultura Negra Resistência e Identidade CEAP
Tema – produção de conteúdo local

c) Escravidão – Aspectos da abolição no Brasil na visão de um mestre de Capoeira.
Tema – Protagonismo Juvenil
Vídeo produzido por bolsista Tirili do curso de percussão.

d) Mapeamentos cartográfico – Proposta que cada um possa identificar na sua comunidades iniciativas culturais do seu bairro.
Vídeo – Reinos_africanos
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=74cSSVUoJtg&w=420&h=315]
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=TsiRq4BFSu8&w=420&h=315]
f) Religiosidade – Apresentação de três vídeos que contam a historia das igrejas evangélicas no brasil pelos seus criadores.

Video 01 – Bispo Edir Macedo ensina como roubar dos fieis.
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=Fg2BEVcy2vI&w=420&h=315]

Video 02 – Cai a mascara de Malafaia
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=ma-9WxKGVMc&w=420&h=315]

Video 3 – Reunião secreta da Rede Globo cai na Internet
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=j4rcQtH366g&w=420&h=315]
Tema – O avanço dos evangélicos nas plataformas politicas do brasileira.
4. RECURSOS DIDÁTICOS:
Aula expositiva, projeções com roda de conversa.
5. METODOLOGIA
A metodologia a seguir apresenta uma tentativa de colocar em dialogo os cursos de Design Gráfico (segunda-feira), Operador de Áudio (terça-feira) , Produtor Cultural (Quarta Feira) , Percussão e Luteria ( quinta-feira ) e programação de Jogos ( sexta-feira), com elementos da historia, cultural e da ancestralidades. Buscamos reunir o ( presente ) momento atual que o jovens negro vive no Brasil e o ( passado) no berçô da civilização humana do Continente Africano. As atividades se dividem em três momentos distintos, apresentação da proposta ( Temas ), como elemento gerador vídeos de 10m no máximo, e a finalização com produção de conteúdo critico. O método foca na contraposição e contradição de ideias que levam a outras ideias.

RELATÓRIO HISTÓRIA E AFRICANIDADES – Aula 2

NUFAC Olinda- PE
Relatório pedagógico semanal ­ Curso : Africanidades
Educador : Paulo Sergio medeiros Barbosa Turno: tarde Data: 01 /setembro/2014
1. TEMA
Beleza negra no Brasil – Mito da democracia racial – Maior idade Penal – proposta de mapeamentos cartográfico.
2. OBJETIVOS
a) Tencionar o conceito da estética negra na mídia.
b) Levantar o histórico a cerca das cotas da universidade e serviços públicos
c) Conhecer a proposta de lei que tenta diminuir a maior idade penal de 18 par 16 anos.
d) Realizar um levantamento da cadeia cultural das regiões de moradia dos jovens.
3. CONTEÚDOS
a) Beleza Negra –
Video amador produzido que discute a beleza da mulher negra e a ideia de pureza racial.
Tema – O cruel padrão da Beleza Negra no brasil
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=QrCGoDRqgko&w=420&h=315]

b) O Mito da democracia racial -Video a cerca da historia dos negros brasileiros nos sociedade desde período da Abolição.
Tema – Racismo institucional
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=p5Wo6_qumJc&w=420&h=315]

c) Pra que reduzir a Maioridade Penal – Video mostra o que esta por traz da maior idade penal e conceitua maioridade penal de maioridade criminal.Alguns perguntas sobre a pertinência da reabertura desta discussão, especialmente dirigidas ao Deputado Efraim Filho (DEM),
Tema Idade penal na historia mundial
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=n9Xo4pS_hoc&w=420&h=315]

d)mapeamentos cartográfico – Proposta que cada um possa identificar na sua comunidades iniciativas culturais do seu bairro.
4. RECURSOS DIDÁTICOS:
Aula expositiva, projeções com roda de conversa.
5. METODOLOGIA
A metodologia a seguir apresenta uma tentativa de colocar em dialogo os cursos de Design Gráfico (segunda-feira), Operador de Áudio (terça-feira) , Produtor Cultural (Quarta Feira) , Percussão e Luteria ( quinta-feira ) e programação de Jogos ( sexta-feira), com elementos da historia, cultural e da ancestralidades. Buscamos reunir o ( presente ) momento atual que o jovens negro vive no Brasil e o ( passado) no berço da civilização humana do Continente Africano. As atividades se dividem em três momentos distintos, apresentação da proposta ( Temas ), como elemento gerador são apresentados vídeos de ate 10m no máximo e a finalização com produção de conteúdo critico. O método foca na contraposição e contradição de ideias que levam a outras ideias.

Reflexões #1: Contos de Ifá e a Economia Criativa

ogum_inovação:
Consultoria em educação que trabalha escolas da rede pública e busca formar pensadores em tecnologia através da lógica do pertencimento com a afro descendência  e instrumentaliza a comunidade escolar através da ludicidade. Ao invés de trabalhar máquinas, trabalha pessoas em busca da reengenharia das lógicas do uso da tecnocracia.

referencias:
A vivência da ancestralidade nas comunidades de matriz africana é o link para se reinventar. O trabalho dentro do terreiro e a noção filosófica de Ogum enquanto Orixá da tecnologia, como força da natureza que a transforma, é o que orienta nosso Laboratório de Mídia dentro do Centro Cultural. Daí a plataforma contosdeifa.com: para a expansão de nossas práticas em tecnologia e expressão.

característica empreendedora:
Usar da lei 10.6369 – que torna obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira nas escolas – como argumento para agregar valor ao produto junto à orgãos governamentais, internacionais e instituições relacionadas ao ensino. Além, fomenta em jovens da perifieria a criação em tecnologia digital.

Expressão da diversidade cultural:
Esteticamente, o roteiro principal da plataforma – a mitologia afro brasileira – é em si mesma expressão da rica cultura trabalhada entre diferentes etnias africanas e indígenas no país através dos séculos. Aliado à plástica visual que traz elementos da cultura yorubana, pretende-se inflar o universo da criação dos jogos eletrônicos com características presentes nas comunidades tradicionais e periféricas do país.

Sustentabilidade ambiental:
A partir da ideia exposta no principal ditado yorubá: “Sem folha não tem Orixá”, acreditamos que todas as ações desenvolvidas em terreiros do país são pensadas no convívio respeitoso com a natureza, pois dela advém nossas entidades, nossa sabedoria, nossa cura, nossa história.

impacto:
A autoestima, o pertencimento, o respeito pelo outro e pela diversidade religiosa, o respeito pela natureza, a proposta da interdisciplinariedade no ambiente escolar e a prática da escola enquanto laboratório e a valorização do meio ambiente como conhecimento. O impacto esperado é nossa busca por diretrizes básicas das Cartas de Direitos Humanos da UNESCO.

contribuição para a economia criativa:
Trazer o modus operandi da matriz africana para os processos econômicos contemporâneos.